Festival de Artes integradas

Posts com tag “2013

Pre Pagos

Descrever uma banda e fazer dessa descrição algo que desperte o interesse do leitor por conhecer a obra e os membros dessa banda é desafiante. Talvez tão desafiante quanto criar uma canção agradável que uma vez ouvida será cantarolada em rodas de amigos ou assobiada em momentos de íntima satisfação. A despeito das possibilidades de sucesso ou fracasso pleno ou parcial de tal empreitada, PRÉ-PAGOS será em alguns breves capítulos aqui apresentada.

Na mineira Barbacena, um jovem e talentoso aprendiz de violão sonhava ter uma banda na qual pudesse expressar suas ideias como seus grandes ídolos do momento faziam. Reuniu alguns amigos com ideais afins e formou a primeira versão dos PRÉ-PAGOS, só que com outro nome, MIOLO MOLE. Em 2010, passados 10 anos de música e dando seqüência a um projeto anteriormente denominado Casa de Orates – onde residiram muitos amigos – PRÉ-PAGOS começa a pleitear a atenção do público “caseiro” com a mesma simpatia e espontaneidade, porém com uma veia rock’n’roll mais pulsante.

Trata-se de rock moçada, rock do bom, rock de minas, brasileiro com muito orgulho. Uma “cozinha” competente sustentando solos de guitarra rasgados. Harmonia, melodia e ritmo articulados coletiva e criativamente por quatro músicos no intuito de, através dos ouvidos, atingir os corações do público.
Letras que abordam ou retratam possibilidades de ser na atualidade, ora com ironia e bom humor, ora com pretensa poesia, mas sempre com sinceridade e singeleza.


Silva Soul

Foi em terras brasileiras que a cultura mais rica e criativa encontrou seu terreno. A essência e as características mais genuínas da cultura negra, aqui no Brasil, deram de cara com a mistura dos povos e uma gente que bagunçou a genética, misturou as caras e os cabelos, mantendo, porém, o que nos diferencia da gente de qualquer outro lugar do mundo: o gingado, o balanço. Sim, os Silvas do Brasil têm algo que desconstrói as teorias, que quebra as regras dos estereótipos. E é exatamente através da linguagem que desafia, que instiga, que mistura e, mais que isso, que faz o corpo responder, que o Silva Soul melhor se expressa.

Beto Grizendi, Marcelo Castro, Fábio Ramiro, Ângelo Goulart e Anderson Fofão são de Juiz de Fora, Minas Gerais, onde iniciaram a carreira da banda e surpreenderam a cena musical com a proposta de misturar a música negra com inserções contemporâneas, influenciados pelos mais criativos movimentos urbanos. Alinhados musicalmente e esteticamente, pegaram estrada em direção a diversas cidades do país, onde naturalmente foram acolhidos pelos diversos movimentos das massas, dos negros, dos brancos – da gente interessada em diversidade, bom senso, ritmo, e música de qualidade. A face soul / funk que apresentam tem sido brilhantemente apadrinhada pela elite do soul brasileiro, através de parcerias com nomes como Gerson King Combo, Quarteirão do Soul , Otto Nascarella , Club do Soul , BNegão e Di Melo.

No primeiro disco do quinteto, o Baile do Silva, muita gente esteve envolvida, melhor, completamente imersa no projeto. O registro dos instrumentos ao vivo aconteceu no estúdio Toca do Bandido , Rio de Janeiro, e a captação das vozes, em terras mineiras, em Juiz de Fora. A banda partiu pra uma mágica sessão de mixagem com Luís Paulo Serafim no estúdio Mosh em São Paulo. E para finalizar, o trabalho foi encaminho pelo produtor musical Dudu Viana para Nova York onde, pelas mãos de Dan Coutant, foi masterizado nos Sun Room Audio.


Ziqui Zira Trio

“Lisergia sonora. Esse é o norte do Ziqui Zira Trio. A banda  tem em seu repertório “clássicos” de Hendrix, Creedence e Led Zeppellin; versões quentes dos bluesmen Albert King, Freddie King, Stevie Ray Vaughan e Elmore James além de acrescentar uma pitada nacional mandando Barão Vermelho, Blues Etílicos e Nação Zumbi. Misturado demais, né? Só ouvindo pra “ver” como tudo se encaixa tão bem


Rodrigo Nézio & Duocondé Blues

Rodrigo Nézio & Duocondé Blues é um trio mineiro de essência Blues formado por

Juntos desde 2004, possuem dois CDs gravados e dois singles.

O primeiro CD foi lançado em 2008 e leva o nome do trio. No mesmo ano, Rodrigo Nézio & Duocondé Blues

faz várias apresentações divulgando seu CD, no Ibitipoca Blues, um dos mais importantes festivais de blues

do Brasil, no III Ilha em Ação, em Ilha Comprida, e uma mini turnê no Rio de Janeiro, incluindo a

participação no programa ATITUDE.COM da Rede Brasil, e um show bem descontraído na Banca do Blues,

o que rendeu ao Trio o prêmio de melhor Álbum de Blues de 2008, o 1º Prêmio Banca do Blues.

Também em 2008, Rodrigo Nézio é entrevistado pela Guitar Player, maior revista do gênero no país, e conta

O segundo, “Hello Pretty Baby”, lançado em 2011, foi feito em parceria com o gaitista Jefferson Gonçalves,

e traz novas roupagens de autores consagrados como Willie Dixon, Charlie Musslewhite, Norton Buffalo e

outros. O Quarteto tenta mostrar um lado do blues que muitas pessoas não conhecem, o lado alegre do

O Trio já participou de vários festivais de Blues no Brasil e dividiu palco com artistas como Jefferson

Gonçalves, Celso Blues Boy, Nuno Mindelis, Big Joe Manfra, Dave Riley, J.J. Jackson.


Take it Easy

A banda está formada há aproximadamente três anos e tem um repertório bastante eclético e animado, voltado para o público dos anos 90 e 2000. Entre alguns artistas do repertório estão: Tim Maia, Cidade Negra, Bob Marley, Paralamas do Sucesso, Seu Jorge, Jorge Ben Jor, Biquini Cavadão, O Rappa, Red Hot Chili Peppers, entre outros.

Take it Easy apresenta um show bem agitado e comunicativo, onde a todo momento, o entretenimento com o público e a diversão de todos, acontece. Desta forma o entusiasmo não para e o público se sente confortável em interagir dançar e cantar.


Fernanda Sant’Anna

Fernanda Sant’Anna. Brasileira. Mineira. Cantora. Intérprete. Compositora.

Iniciou-se na carreira artística/musical de forma profissional aos 18 anos de idade com seu primeiro show de MPB, realizado na mais tradicional casa de shows da cidade. Desde então, começou a se destacar no cenário musical dos Campos das Vertentes pela qualidade de seu trabalho e pesquisa de repertório sempre voltada para as raízes e riquezas da Música Brasileira, da qual recebe influência desde criança.

É formada em “Canto Popular” pela “Bituca – Universidade de Música Popular”, onde estudou com Babaya, Musicalização pelo método Kódaly com Ian Guest, Percepção Musical,  Expressão Corporal e Preparação para o Palco Trabalha com os músicos.

Em Agosto de 2011, realizou a gravação do DVD Brasilidade no Teatro da Cabana da Mantiqueira, em Barbacena/MG, contando com a participação especial dos músicos Serginho Silva , Guido Campos e Breno Mendonça. O show de lançamento aconteceu, com muito sucesso, na renomada “Bituca – Universidade de Música Popular”.

Participou, em Fevereiro de 2013, do Festival “NMB/Nova Música Brasileira” realizado pela Biruta Produções/RJ, onde se sagrou vencedora da etapa realizada na cidade de Rio das Ostras/RJ, como melhor show de samba.

Possuindo um timbre de voz diferente e característico a sua personalidade, foi considerada pela produção do Festival Goma/Uberlândia/MG, do qual participou em junho/13, como uma das maiores promessas da nova música produzida no interior do estado.

Já dividiu o palco com músicos respeitados no cenário atual, como o pianista Felipe Moreira, o guitarrista Rodrigo Nézio, o Trio Rodrigo Nézio e Duocondé Blues, o pianista Marco Brito (Ivan Lins), a cantora Marina Machado, em oficina no projeto Conexão Vivo, a cantora carioca Thaís Macedo, entre outros.

Participa de diversos circuitos musicais nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro e, atualmente, prepara-se para a gravação do seu primeiro CD autoral.

Tudo isso apenas no começo de uma jornada musical que não finda mais, com muita Brasilidade na vitrola e nos palcos, “vem para dar baile, vem para ser de gala”- Fred Furtado.


12Duoito

Com oito anos de estrada, a banda 12Duoito conseguiu a interação de indivíduos com

influências diversas, que vão ao samba, ciranda, maracatu, rock setentista, soul e dub,

contextualizando essas referências em uma linguagem própria e lisérgica.

As letras possuem uma poética questionadora e reflexiva sobre temas cotidianos, linkados

a gooves e rifes com uma pegada original e intensa, transformando-as em algo ousado e

contemporâneo. Enjoy!